InKemia IUCT ganha 2 novos projetos de R & D. Um na área das doenças raras e outra de biocombustíveis avançados

A divisão do conhecimento de InKemia IUCT ganhou 2 concursos públicos competitivos, para ser realizados num consorcio de organizaçoes. O investimento em P&D realizada nestes projetos reportará resultados técnicos patenteáveis em forma de novos produtos, processos ou tecnologias. Desta forma, InKemia poderá aumentar significativamente a sua carteira própria de tecnologia ou “Pipeline”. InKemia utiliza vários canais de exploração simultânea do Know-how e das patentes obtidas em cada projeto, acelerando o tempo de recuperação do investimento, graças ao seu modelo inovador de operação multicanal.

Projeto P&D sobre Doenças Raras

IUCT, a divisão do conhecimento de InKemia, recebeu a aprovação do projecto de colaboração num programa financiado pela União Europeia. Este projeto envolverá um lucro operacional de 205.205 Euros para o InKemia IUCT, distribuído nos anos 2016-2017. Este é um projecto de consórcio no qual participam 7 PME, 1 Big Pharma e o o Hospital Universitário Vall d’Hebron de Barcelona. O projeto envolve um investimento total de todo o consórcio de 2,47 milhões de euros. O projeto total está focado para desenvolver uma plataforma de várias empresas para formar um cluster de tecnologia, que permita a obtenção de “soluções terapêuticas das doenças raras” de uma maneira muito mais eficiente e mais rápido do que atualmente. Depois de desenvolvido o sistema de integração dos vários parceiros com as linhas de cada empresa de pesquisa, será alcançada a máxima coordenação cluster. Graças às capacidades tecnológicas que reúnem as empresas participantes neste cluster, estas irão estar em posição para desenvolver novos medicamentos para doenças raras de forma competitiva e contínua, tanto para outras empresas quanto para as próprias carteiras de produtos. Especificamente InKemia participará no desenvolvimento de soluções terapêuticas para a doença rara distrofia miotônica (DM), da qual já tem muito bons resultados preliminares por meio de outros projetos de pesquisa anteriores. Entre as doença raras, a DM é a forma mais comum em adultos. Em particular, o tipo 1 da DM ou doença de Steinert afeta 1 em cada 8.000 pessoas. Trata-se de uma doença genética neuromuscular multissistémica, que inclui desordens da mobilidade, cardiovascular, digestivo, hiperinsulinemmia, cataratas, entre outros. Atualmente não existe terapia alguma para os enfermos.

Projeto de P&D de Biocombustíveis de 2ª geração

A divisão do conhecimento de InKemia IUCT também recebeu a aprovação de um projeto de P&D dentro do programa competitivo do Ministério de Economia da Espanha. Este projeto é intitulado “Preparação e qualificação de novos biocombustíveis: Integração das cadeias de valor e economia circular na indústria do biodiesel”. Este projeto requer um investimento em P&D de 427.651 € entre os 3 participantes projecto e uma assistência financeira de 199.995 € para o grupo InKemia, distribuídos entre os 24 meses de duração do projeto (2016-2018).

Este projeto tem como objetivo estudar em profundidade a melhora das propriedades obtidas pela incorporação do “S50” ou biocombustível de segunda geração patenteado pela InKemia IUCT, em misturas com combustíveis fósseis ou biocombustíveis de primeira geração. O projeto permitirá realizar testes de escala, determinar a qualidade da sua produção,além de estudar as percentagens de S50 que podem ser utilizados na mistura com outros combustíveis, seja para motores diesel ou caldeiras industriais.

Além da InKemia participam no projeto especialistas internacionais reconhecidos nas áreas de aplicação estudadas. Em um lado, a Universidade de Castilla la Mancha que estuda a aplicação do S50 em condições reais de motores diesel e as melhorias nas emissões. Por outro lado, a Universidade de Zaragoza que estuda o comportamento dos biocarburantes da InKemia nas caldeiras industriais. Algumas das propriedades mais importantes que serão demonstrada durante este projecto são: o nível de partículas suspensas ou gases NOx que podem ser reduzidas especialmente se o S50 é misturado com diesel de petróleo, e a diminuição real das emissões de CO, CO2 ou hidrocarbonetos, entre outros.

Características técnica dos biocombustíveis da InKemia

Os projetos de P&D executados pela InKemia IUCT tem permitido descobrir um biocombustível de 2ª Geração ou Avançado (S50) para motores diesel que se destaca pelas seguintes vantagens:

  1. Reduz em até um 30% a produção combinada de partículas suspensas e de gases NOX, na operação de motores diesel.
  2. Reduz as emissões netas de CO2 em comparação aos biocombustíveis de primeira geração.
  3. Além da redução das emissões de outros gases, melhora as propriedades intrínsecas do combustível .
  4. Minimiza o uso de matérias-primas alimentares.
  5. Usa a glicerina residual gerada em usinas de biodiesel convencionais como matéria-prima.
  6. Os processos de fabricação de S50 desenvolvidos são claramente flexíveis por sua capacidade de utilizar matérias-primas de diferentes níveis de qualidade e consegue um processo produtivo a custos altamente competitivos.

Sobre Inkemia Brasil

Centro Tecnológico focado em criar, desenvolver e transferir novos conhecimentos para os setores, Farmacêutico, Químico, Biotecnológico, Alimentício...
Esse post foi publicado em projetos e marcado , . Guardar link permanente.